Alzira E e Paulo Simões: um olhar sobre o Pantanal, no Chá com Livros

Atualizado: Out 2


Alzira E - Foto: Marina Thomé

A cantora, compositora  e instrumentista Alzira E  e o compositor, poeta e violonista Paulo Simões são os convidados da revista online Chá com Livros deste sábado,26/09, às 17h. 

No bate papo com Ana David sobre livros e música,   Alzira E  e Paulo Simões vão falar sobre suas carreiras, sobre o que pensam acerca dos impactos ambientais provocados pela ação humana no Pantanal e sugerir livros que  inspiram  o olhar dos dois sobre a cultura sul-mato-grossense e sobre seus trabalhos artísticos atuais. As poesias, a literatura e os sons de uma região que guarda o Pantanal, Reserva da Biosfera e  Patrimônio Natural da Humanidade, cujas sequelas dos incêndios ainda não podem ser medidas.   

Alzira Maria Miranda Espindola, nome artístico Alzira E, nasceu em Campo Grande, em 1957, e mudou-se para São Paulo em 1985,

Paulo Simões - Foto: Vaca Azul

quando iniciou  carreira solo. Gravou 14 discos que registram sua presença na música brasileira contemporânea, com posições marcantes de vanguarda e de inovação.    Uma trajetória que começou aos 9 anos, quando compôs com a irmã Tetê, sua primeira canção, “Aa vaa cama”, registrada no disco Amme, em 1992.   Autodidata, aprendeu a tocar violão aos 10 anos de idade. Em 1975, forma o grupo Luz Azul, com os irmãos Tetê, Geraldo e Celito,  e faz shows entre Cuiabá e Campo Grande. Alzira inicia a carreira musical quando seu grupo, rebatizado de Lírio Selvagem, grava o LP “Tetê e o Lírio Selvagem”, em 1978.  O grupo se dissolve em 1980.  Em 1985, muda-se para São Paulo e, em 1987,  lança o  primeiro LP , "Alzira Espíndola", produzido por Almir Sater  com músicas de compositores da região Centro-Oeste, uma inédita de Renato Teixeira e canções autorais, como “ Vejo a Vida" , em parceria com Arrigo Barnabé.    Em 1988, grava com Tetê Espíndola a música Adeus Pantanal, de Itamar Assumpção, que já fazia um alerta sobre as agressões ao meio ambiente na região.   

A partir de 2005, trabalha em parceria com o poeta arrudA e produz o  CD , lançado em 2007, "Alzira E".   Em 2014, com  o CD “O que vim fazer aqui”, celebra a importante parceria com Itamar Assumpção, ícone da Vanguarda Paulista.   Em 2016, com o   músico Marcelo Dworecki, cria o projeto de uma banda, CORTE, formada por   Alzira E,  Marcelo Dworecki,  Nandinho Thomás, Cuca Ferreira e Daniel Gralha,  e lança o primeiro CD do grupo em 2017.   Segundo Alzira, esse disco é impactante na sua carreira por tratar-se de “um grupo com sonoridade pesada, experimental, dando abertura para um público novo”.  Em  2019, com a irmã Tetê Espíndola, Alzira lança o  álbum Recuerdos, com guarânias e canções pantaneiras.

Paulo Simões é compositor, cantor, poeta e violonista nascido no Rio de Janeiro  mas criado em Campo Grande, onde reside.  Personagem do livro de Danilo Nuha, “Sonhos Guaranis – A Poesia de Paulo Simões”,  o artista é  considerado um  dos principais criadores de uma  linguagem musical contemporânea no Mato Grosso do Sul.  

Autor consagrado de clássicos do repertório regional, como “Sonhos Guaranis” e “Comitiva Esperança”, com Almir Sater, e “Trem do Pantanal”, com Geraldo Roca, Simões é uma das mais importantes referências da  música regional brasileira.  Foi Indicado  ao Grammy Latino de 2017, na categoria Melhor Canção em Língua Portuguesa, com D de Destino, parceria com Almir Sater e Renato Teixeira.

Todo seu trabalho é voltado para a identidade musical do Mato Grosso do Sul.

Ao longo da carreira, são mais de 200 composições, 7 CDs individuais e 2 CDs com o grupo Chalana de Prata, do qual  participa com  Celito Espindola e o Guilherme Rondom.

Além da criação musical, Paulo Simões faz curadoria e direção artística de shows com artistas regionais e as parcerias ao longo da carreira incluem  Geraldo Roca,  Geraldo Espíndola,  Celito Espíndola, Guilherme Rondom, Almir Sater, Renato Teixeira, João Ormond, Cláudio Lacerda entre  outros. Suas músicas foram gravadas por artistas como Sérgio Reis, Renato Teixeira, Maria Bethânia, Ivan Lins,  Sandy e Jr., Michel Teló e Zezé di Camargo e Luciano.    Em novembro de 2019, Paulo Simões lançou seu novo trabalho,  “Outras Canções”,  álbum  com produções inéditas e releituras.



SERVIÇO:

26/09/2020-   Chá com Livros  -   Apresentação: Ana David

Horário:   17h.  

Transmissão: ao vivo, gratuita, pelos canais digitais do Mpumalanga: www.facebook.com/institutompumalanga




  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram
© 2020 Instituto Mpumalanga. Todos os direitos reservados.