top of page

Arte e autismo em exposição de telas e diálogos,na Casa Brasileira.



São Sebastião – (14/08/2023) Autismo, arte e um olhar renovador sobre os processos criativos serão temas da exposição de telas do artista Bruno Urbanavicius e da série de encontros Diálogos TEA & ARTE, a partir da próxima sexta-feira (18), na Casa Brasileira, em São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo.

Dia 18 de agosto, às 19h, a Casa Brasileira abrirá ao público a exposição RE-VISÕES, com telas, desenhos e esculturas do artista plástico e gráfico Bruno Urbanavicius. Diagnosticado recentemente com autismo, Bruno é graduado em Comunicação pela FAAP - Fundação Armando Álvares Penteado e tem formação técnica em design gráfico pela Escola Panamericana de Arte.

A exposição tem curadoria de Oscar D'Ambrosio, Pós-Doutor e Doutor em Educação, Arte e História da Cultura e Mestre em Artes Visuais e inspira reflexões sobre a importância das linguagens artísticas no desenvolvimento de crianças e jovens atípicos e na inclusão dentro e fora do ambiente escolar.


Diálogos TEA & ARTE –


No sábado (19), às 17h, Bruno Urbanavicius abre a série Diálogos TEA & ARTE e vai conversar sobre os efeitos do TEA (Transtorno do Espectro Autista) em sua trajetória artística. Com mediação do diretor teatral Josafá Filho e presença de artistas e especialistas, os Diálogos TEA & ARTE fazem parte dos trabalhos educacionais do Instituto Mpumalanga, que realiza formação de professores de escolas públicas para atividades inclusivas, por meio da arte, com crianças atípicas.

Após uma visita guiada à exposição Re-Visões, estarão com o artista na roda de conversa do sábado, dia 19/08: Gabrielly Lima, psicóloga e atendente terapêutica; Andressa Martins, psicóloga da Equipe Multiprofissional de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal de Educação de São Sebastião, e Oscar D’Ambrosio, jornalista, crítico de arte e curador da exposição RE-VISÕES.


Sobre a exposição -


RE - VISÕES apresenta obras da série “Monstros”, com trabalhos telas e desenhos feitos por Bruno a partir de 2012, além de esculturas em porcelana fria biscuit, pintadas com tinta acrílica, e “rabiscódromos”, que mostram o seu processo criativo.




O processo de criação de Bruno Urbanavicius tem início em cadernos que o artista denomina “rabiscódromos”, por conter “rabiscos”, ou seja, esboços que depois são convertidos em telas, esculturas, murais entre outros. Trabalhos, estes, surgidos das inquietações do artista. De acordo com Bruno, os monstros surgem como uma ideia espontânea, genuína, que materializam suas emoções em formato de criaturas multicoloridas. Em seu processo de reelaborar pela arte suas emoções, o artista se aproxima da pop art, produzindo desenhos de grande impacto e apelo visual.

O artista tem mergulhado em sua história pessoal e nos efeitos do TEA (Transtorno do Espectro Autista) sobre sua trajetória de vida e na arte. Para Bruno Urbanavicius, um dos grandes desafios da sociedade contemporânea é lidar com as emoções, os medos, as inseguranças, a ansiedade, as incertezas e os desafios pós-pandemia. Bruno traz estas emoções em forma de cores fortes, berrantes e convoca o público a encarar tais emoções de forma lúdica, apresentando um olhar para elas de modo a ressignificá-las.

Oscar D’Ambrosio, curador exposição Re-Visões, crítico de arte e jornalista, fala sobre a obra de Bruno a partir da ideia de renovação do olhar.

“A arte tem como principal característica a capacidade de escapar daquilo que se conhece rotineiramente. Ela gera estranhamentos e propõe perguntas. Nesse sentido, os trabalhos de Bruno Urbanavicius com diversos materiais e sobre variados suportes são diálogos que ele estabelece com o mundo que consideramos real.

A partir dos “rabiscódromos”, desenhos realizados em cadernos de diversos tamanhos, constrói um universo particular em que são realizadas múltiplas experimentações com formas e cores. Surgem assim diversos tipos de imagens, caracterizadas por expressões visuais geralmente desenvolvidas plasticamente com tonalidades quentes”, explica D’Ambrosio.

“Cada obra, afirma Oscar D’Ambrosio, traz inquietações sobre o sentido da própria existência e da arte. As criações, nesse processo, geram significados que propõem reflexões permanentes que se manifestam pelo ato de fazer como um pensar que instaura uma realidade em si mesma, plena de expressões e silêncios.

As obras não são meras representações simbólicas. Trazem sutis conceitos do artista sobre como seus personagens se relacionam com o entorno ou como é possível mudar o que se vivencia pela apresentação de proposições críticas e imaginativas que obrigam o público a renovar o seu olhar.

Existe assim uma dialética no trabalho, que propõe dois movimentos. Por um lado, o artista, enquanto criador visual, pensa mais e melhor sobre a vida, principalmente quando os personagens são colocados sob tensão. Por outro, a atmosfera das obras induz o observador a também rever seus próprios conceitos dos sentidos da jornada do existir “, conclui o curador da exposição.


Sobre o artista Bruno Urbanavicius – @urbana_bruno


O artista já participou de duas exposições solo, tendo sido premiado com a Medalha de Ouro em Arte Contemporânea na 11a Grande Exposição de Arte Bunkyo, realizada em 2017 na Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa. Bruno se desafia a produzir fora do espaço fechado das galerias, divulgando seus trabalhos nas ruas, em espaços públicos. Pinta murais nas periferias da cidade de São Paulo e no centro, em projetos a partir de parcerias, sem remuneração. Sua arte urbana se amplia também por meio de outros suportes, como adesivos, stencils e intervenções de arte na cidade que dão vazão à crítica social.

Bruno Urbanavicius nasceu na cidade de Botucatu, no estado de São Paulo.



SERVIÇO:


18/08/2023 – 19h - Abertura da Exposição RE – VISÕES

19/08/2023- 17h às 19h30 - Diálogos TEA & Arte -encontro com o artista Bruno Urbanavicius e roda de conversa com: Gabrielly Lima, psicóloga e atendente terapêutica; Andressa Martins, psicóloga da Equipe Multiprofissional de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal de Educação de São Sebastião, e Oscar D’Ambrosio, jornalista, crítico de arte e curador da exposição RE-VISÕES.

Local - CASA BRASILEIRA

Av. Dr. Altino Arantes, 80, Rua da Praia, Centro - São Sebastião.

Entrada gratuita. Faixa etária – livre

Informações/wahstApp 11 998388794

323 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page