Artes integradas marcam mais um modulo de Viva com Arte em Itaquá


A turma de primeiro ano recebeu mais um módulo no Parque Ecológico do Tietê.


Os alunos da Formação Continuada de professores Viva com Arte, das turmas de primeiro e segundo ano, visitaram todos os campos das artes nesses três dias de trabalhos e movimentos em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. Divididos entre a secretaria de educação e o Parque Ecológico do Tietê, eles desenvolveram atividades práticas de experimentação e criatividade.

Eram esculturas que inspiravam danças, literatura que virava música, ritmo que ganhava letra, histórias que ganhavam vida, não faltou criatividade nesses dias, pois ela também é aprendida.

“Nós trabalhamos o tempo inteiro com processo criativo, conceitos de criatividade. eles fizeram a composição rítmica a partir do nome deles, colocaram melodia em letras que foram fornecidas  a partir de provérbios populares”, contou a professora Heloísa Leone, do Instituto Mpumalanga.


Artes integradas e experimentação em cena.


A cada encontro novos conceitos de artes são tratados, todos com viés educacional. O ensino público de Itaquaquecetuba já sofreu sensíveis mudanças com a maior valorização das artes no processo educacional. É o segundo ano da Formação Continuada na cidade, as turmas avançaram e novas foram formadas.

A Formação Continuada de professores Viva com Arte tem a metodologia desenvolvida pelo Instituto Mpumalanga e o apoio da EDP e do Instituto EDP.

0 visualização
  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram
© 2020 Instituto Mpumalanga. Todos os direitos reservados.