Conheça quem são os guardiões da Amazônia


Essas grandes áreas, a maioria delas reconhecidas como Terra Indígenas (TI’s), são a mais eficiente estratégia de conservação da amazônica brasileira, segundo o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônica (IPAM).

O Ipam é uma organização científica, não governamental, que atua há vinte anos no trabalho de pesquisa para o desenvolvimento sustentável e monitoramento da conservação da região amazônica.

Recentemente o instituto divulgou o estudo: “Terras Indígenas na Amazônia Brasileira: reservas de carbono e barreiras ao desmatamento” que comprova a atuação da TI’s como entrave ao avanço do desmatamento. Entre os anos de 2000 a 2014, período do monitoramento da pesquisa, a perda da floresta dentro das terras indígenas foi inferior a 2%, enquanto a média da área desmatada na Amazônia no mesmo período foi de 19%. Uma diferença que representa de mais de 70 milhões de hectares.


Exemplo do desmatamento até 2014 no interior e entorno do Parque Indígena do Xingu. Fonte: Ipan


A baixa está relacionada aos modos tradicionais, aos valores e formas de uso dos recursos naturais. Ao controlar o desmatamento também se evita  as emissão de gás carbono, o principal gás causador do efeito estufa. Segundo o estudo do IPAM, as Terras Indígenas são responsáveis pelo estoque de 13 bilhões de toneladas de carbono.


Densidade de carbono (tonelada por hectare) em Terra Indígena na amazônia brasileira. Fonte: Ipan


A partir das análises e conclusões, o estudo propõe recomendações relacionadas ao tema Terras Indígenas. Entre diversos itens, estão ações de garantia dos direitos territoriais indígenas por meio da demarcação de terras tradicionalmente ocupadas, construção e implantação de políticas públicas e o desenvolvimento de plano de capacitação dos povos indígenas sobre temas relacionados às mudanças climáticas.

A abordagem sobre o aumento da temperatura Terra é preocupante.  Em lugares onde as florestas foram substituídas por pastagens houve um aumento de temperatura regional de 4,26ºC a 6,4ºC.

Provedores de serviços ambientais e dependentes diretamente da conservação florestal, o reconhecimento dos saberes tradicionais e o fortalecimento dos povos indígenas são fundamentais para a sustentabilidade e futuro do Planeta.

#apurinã #amazônia #paumari #lábrea #MeioAmbiente #povosindígenas #conservação

1 visualização
  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram
© 2020 Instituto Mpumalanga. Todos os direitos reservados.