Livro Kitutu retrata a influência africana na cozinha brasileira

A influência dos africanos e seus descendentes é marcante na música, dança e culinária brasileira. Quando um determinado valor cultural é registrado como patrimônio imaterial, ele passa a fazer parte de uma plano de salvaguarda e de registro documental, assim as manifestações afro-brasileiras foram contempladas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como tal.



A importância na formação da culinária no Brasil fez com que o antropólogo e museólogo Raul Lody mergulhasse nos sabores e histórias da cozinha ancestral africana por meio da criação do livro Kitutu: histórias e receitas da África na formação das cozinhas do Brasil.



Na obra, o autor aborda os mitos relacionados à comida e apresenta uma variada seleção de comidas africanas - principalmente dos países lusófonos -, em um convite para que o leitor não apenas conheça os pratos tradicionais, mas também reconheça neles elementos que fazem parte do cotidiano.



Bem temperado com história e gastronomia, a obra possibilita um amplo conhecimento sobre as diferentes maneiras de comer do continente africano, marcadas pelas escolhas de ingredientes que identificam povos e civilizações. São apresentadas receitas doces e salgadas do norte da África – Magrebe –, da África ocidental, da África atlântica-austral e da África oriental. “Áfricas” que são grandes matrizes da nossa cozinha.


O nome do livro refere-se à palavra “quitute”. Expressão muito utilizada para designar iguaria bem-feita, o termo é derivado da palavra kitutu, originária da língua quimbundo. Com um texto saboroso apoiado por belas imagens, a publicação do Senac São Paulo faz o leitor vivenciar paladares que refletem séculos de cultura.



Há cinco décadas Raul Lody desenvolve um amplo trabalho na antropologia da alimentação, o que trouxe a ele o conhecimento de boa parte do mundo. “São etnografias nas relações comida, cultura e sociedade e nestes contextos, certamente o continente africano ganha destaque especial. Porque na formação da cozinha do Brasil são muitas Áfricas presentes conformando assim sistemas alimentares, com as comidas do cotidiano, as comidas das festas, e as comidas na tradições religiosas e assim pesquisas de campo em muitos povos da ´África e no Brasil visto que a presença africana é nacional”, diz.



Nesta terça-feira, 29 de setembro, Raul Lody estará ao vivo ao lado da Chef de cozinha baiana Tereza Paim na página do Facebook da Editora Senac SP para falar sobre o livro Kitutu, que revela os sabores africanos nos pratos brasileiros. Imperdível! :)

  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram
© 2020 Instituto Mpumalanga. Todos os direitos reservados.