Seminário Viva com Arte reforça valorização da educação em Itaquá


Alunos da Formação Viva com Arte se engajaram na produção de um seminário de sucesso.


Nesta segunda-feira (30), os alunos de primeiro e segundo ano da Formação Continuada Viva com Arte, em Itaquaquecetuba, realizaram o Seminário de encerramento do curso. Eles próprios foram os responsáveis pela organização do evento, com auxílio dos professores do Instituto Mpumalanga, e trouxeram à tona temas de interesse multidisciplinar relacionas ao trabalho de manifestações artísticas nas escolas. A ideia é que o encontro gerasse ainda mais conhecimento, de modo a aprofundar as práticas trabalhadas pela metodologia ao longo do ano.

“A gente teve bancas muito bacanas, que até trouxeram performances, maneiras artísticas de expor. É justamente essa vivência que vem do Viva com Arte, da gente transmitir com corpo, com a voz, com a dança, com a música e com materiais que sejam possíveis de se trabalhar”, resumiu a professora Alexandra Pericão, atenta às apresentações.


Linguagens artísticas fizeram parte da expressão durante o seminário Viva com Arte.


Dentre os temas definidos está a valorização da identidade cultural, a cultura brasileira, a arte na escola, um debate sobre ensino progressivo e contínuo para além do ensino seriado, a transdiciplinaridade e um novo olhar para a transição do ensino infantil para o fundamental.

O impacto da Formação Viva com Arte é tamanho em Itaquaquecetuba, que os gestores municipais reformaram a proposta de educação na cidade, dando maior valor às práticas artísticas. “Vocês colaboram com a construção e revisão da proposta pedagógica da Secretaria de Educação. São coisas paralelas: a reformulação da proposta e a Formação Viva com Arte com os professores, que nos deixaram muito felizes e ampliaram nosso olhar!”, ressaltou Verônica Cosmo, apoiadora do projeto e Secretária de Educação de Itaquaquecetuba.

“A gente tem visto muita objetividade, reflexões em harmonia, depoimentos incríveis de professores dizendo que a formação faz mesmo toda a diferença, porque traz um olhar novo das linguagens artísticas, potencializa o professor e o torna mais feliz. A arte traz essa alegria para que ele possa trabalhar em sala de aula”, acrescentou Pericão.


Professora Alexandra Pericão observou o crescimento dos alunos e o novo olhar para a arte.


A Formação Viva com Arte, em seu segundo ano na cidade, é uma parceria com a EDP e o Instituto EDP, que valorizam as artes e a figura do professor enquanto agente de transformação social. Foi essa ideia ressaltada pelo analista de sustentabilidade do Instituto EDP, André Medeiros. “Nós do Instituto EDP, a gente acredita na educação, acredita em vocês! Professor é o que cultiva esperança, conhecimento, troca e é o que se dedica. O professor tem que ser valorizado, e é isso que a EDP acredita, portanto não deixem de acreditar em vocês!”, reverberou aos alunos.

O encerramento do ano de aprendizado junto ao Instituto Mpumalanga será realizado nesta terça-feira (31), em Itaquaquecetuba. Será mais um dia para pensar a educação de modo sensível, com a valorização do corpo e mente, dos movimentos e das artes no processo educacional integral.


Movimento não deixou de fazer parte da Formação!


0 visualização
  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram
© 2020 Instituto Mpumalanga. Todos os direitos reservados.