top of page

A cozinha que educa para o consumo e para o meio ambiente

São Sebastião (29/10/2022) - Estudantes do Colégio Municipal Alice Fuchs de Almeida, da cidade de Una, interior da Bahia, assumiram a tarefa de cuidar da compostagem de resíduos produzidos na cozinha da escola. Uma semana após o Instituto Mpumalanga instalar uma composteira no pátio do colégio, como parte do projeto Cozinha Itinerante, as merendeiras separam e depositam resíduos na composteira e os alunos verificam diariamente o nível do composto orgânico. Para remexer a matéria orgânica, utilizam um rastelo e se dividem na tarefa de recolher folhas e galhos caídos no pátio para cobrir os resíduos da cozinha, depositados ali para virar adubo.



Desde 2019, o Mpumalanga desenvolve um trabalho de educação para o gerenciamento de resíduos, com apoio da especialista Tatiana Araújo, consultora da Academia Lixo Zero Brasil. Incluir o tema e a ação para a meta lixo zero no curso Comida como Cultura do projeto COZINHA ITINERANTE foi um salto importantíssimo para mobilizar escolas públicas em torno da destinação correta dos resíduos e mostrar como a cozinha pode ensinar as crianças para a preservação ambiental.

Em Una, o projeto Cozinha Itinerante deixou como legado a implantação da minicomposteira no Colégio Municipal Alice Fuchs de Almeida, que vai produzir adubo orgânico a partir de resíduos da cozinha e da poda do jardim da escola. O objetivo é construir consciência ambiental e qualificar crianças e jovens para entenderem as soluções que podem contribuir para a qualidade do meio ambiente.



A construção da composteira em Una foi realizada no dia 19/10 por uma equipe do Mpumalanga, com supervisão da gestora ambiental Tatiana Araújo e apoio de funcionários do Colégio.

O diretor da escola, Antônio Raimundo Santana, acompanhou o trabalho e disse que o projeto vai permitir “desenvolver o processo de limpeza do material orgânico e utilizar esse composto orgânico para a horta da escola”. O diretor aplaudiu a ideia do projeto do Instituto Mpumalanga de compostagem nas escolas, pioneiro em Una. “É muito importante para a gente e já estamos planejando as ações que vão acontecer diariamente na escola com o projeto. As merendeiras são peça fundamental porque vão pegar todo material orgânico que sobrar na cozinha e, junto com os professores, trazer as crianças para acompanhar e aprender sobre a compostagem”, concluiu o diretor Antônio Raimundo.



Cozinha Itinerante é um projeto de educação por meio da alimentação e fará capacitação de merendeiras de escolas públicas e mulheres da agricultura familiar, com aulas ministradas pela Chef Adriana Saldanha. Habilidades na cozinha, uso do alimento em todo seu potencial, o valor dos ingredientes regionais no prato, destinação de resíduos para compostagem, a comida como cultura e a culinária na geração de renda são conteúdos do curso.




O projeto vai atender gratuitamente, até dezembro deste ano, os municípios de Vitória de Santo Antão-PE e Curitiba-PR.

O projeto Cozinha Itinerante tem patrocínio da Tang e visa a capacitação de merendeiras, agricultoras familiares e cozinheiras comunitárias.




17 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page