Adeus a Dona Ivone Lara

Cantora, grande dama do samba de raiz, rainha da música popular brasileira e compositora, Dona Ivone Lara, morreu na noite desta segunda-feira (16), no Rio de Janeiro, vítima de um quadro de insuficiência cardiorrespiratória. Ela estava internada desde sexta-feira (13) – data em que completou 96 anos – no Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) da Coordenação de Emergência Regional (CER), no Leblon, Zona Sul da cidade

Além de compositora, Dona Ivone Lara, foi enfermeira. Trabalhou em hospitais psiquiátricos no Rio de Janeiro, onde conheceu Nise da Silveira, psiquiatra alagoana que revolucionou o tratamento psiquiátrico no Brasil e escritora. O protagonismo sempre a acompanhou, foi a primeira compositora da ala dos compositores de uma agremiação de escola de samba, a Império Serrano.

Diversos artistas consagrados da música popular brasileira gravaram suas letras. De Clara Nunes a Roberto Ribeiro, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil e cantores da nova geração como Mariene de Castro, Roberta Sá, João Martins e Renata Jambeiro (cantora e professora do Instituto Mpumalanga). Renata teve a oportunidade de gravar a inédita INVESTIDA FATAL em seu primeiro álbum, entitulado JAMBEIRO – parceria da cantora com Bruno Castro e André Lara, neto de Dona Ivone.

E é justamente Renata Jambeiro quem, em poesia, homenageia Dona Ivone Lara com o texto que segue. Descanse em paz.

PARA DONA IVONE – por Renata Jambeiro

Não sei se silencio ou se pranto alto.

Não sei se entristeço ou agradeço.

Meu coração se embala em suas melodias.

Só sei da doçura da sua canção,

Do acalanto e conselhos em noites frias.

Só sei do alento e acolhimento de sua família.

Das rodas até as madrugadas, como a senhora mesmo dizia: “O samba não pode parar! Dá um jeito minha filha, inventa e vai!”.

NAS ASAS DA CANÇÃO, eu sei que NASCI PRA SONHAR E CANTAR. O seu legado e sua obra, seguirei. Seguiremos.

E em “UM GRANDE SONHO, AGORA, convoco o POETA SONHADOR de cada um dos meus amigos trovadores, cantores, compositores, convoco o surdo e o violão, tamborim, cavaco e pandeiro,

o samba, o mundo inteiro

Pra te aplaudir, grande mãe,

Em uma CANÇÃO DE FELICIDADE , na TENDÊNCIA da luz e da gratidão por seu CANTO DO MEU VIVER, na ESSÊNCIA DE UM GRANDE AMOR.

CHOREI, CONFESSO. Afinal, és a grande dama. ELA É A RAINHA, já diziam, que, com seu AXÉ DE IANGA, lutando e conquistando invadiu corações e deu grandes exemplos de ser mulher para nós, num SONHO “SEU” que foi realizado.

FORAM “TE” CHAMAR, vó… agora é a sua vez de, nas asas do seu PASSARINHO ESTIMADO, QUE LHE DEU INSPIRAÇÃO, TIÊ, ser levada ao encontro de sua SEREIA GUIOMAR, pra fazerem um samba daqueles!

O SILÊNCIO JÁ DIZ TUDO.

Hoje, o céu é poesia e melodia.

É Dona Ivone Lara.

Odoyá!

Saluba, Nanã!

#RenataJambeiro #Música #riodejaneiro #Samba #donaivonelara

0 visualização
  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram
© 2020 Instituto Mpumalanga. Todos os direitos reservados.