top of page

Agora, o pensamento indígena é imortal!






O Instituto Mpumalanga parabeniza o escritor, pensador e ambientalista Ailton Krenak, o primeiro indígena eleito para ocupar uma cadeira da Academia Brasileira de Letras.

A eleição ocorreu esta semana e, em decisão histórica, Ailton assume a cadeira de n* 5, que foi ocupada por José Murilo de Carvalho.

Professor Honoris Causa pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e pela Universidade de Brasília (UnB), Ailton nasceu em 1953 na região do Médio Rio Doce, em Minas Gerais e pertence ao povo Krenak.

A partir dos anos 1980, passou a dedicar-se ao movimento indígena e teve importante papel na Constituinte de 1988 ao discursar no Congresso pelos direitos dos povos originários.

Entre diversos livros publicados pelo escritor, Ideias para Adiar o Fim do Mundo, A Vida não é Útil e Futuro Ancestral deram maior visibilidade à cosmovisão indígena acerca da vida e da sobrevivência no Planeta.

O Instituto Mpumalanga e a Casa Brasileira tiveram a honra de contar com a participação do acadêmico Ailton Krenak em diversos projetos culturais. Em 2020, Ailton Krenak foi um dos entrevistados do evento online Festival Salve Vida Indígena, organizado pelo Mpumalanga.


Em 2022, Krenak mediou uma mesa online dentro da programação especial da Casa Brasileira sobre a Semana de Arte Moderna 100 anos depois. Em fevereiro de 2023, participou da 3ª. Edição da FLISS- Festa Literária Internacional de São Sebastião, realizada pelo Mpumalanga em formato híbrido. Essa programação está disponível no canal de youtube do Instituto Mpumalanga e vale a pena conferir.

43 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page